Adoçantes: um hábito saudável

Ao abrirmos algumas revistas ou assistirmos à televisão, somos bombardeados com anúncios em que modelos maravilhosas nos prometem corpos esculturais se trocarmos o açúcar por adoçante ou se utilizarmos produtos diet ou light. Refrigerantes, geleias, gomas de mascar, balas, chocolates e achocolatados são até vendidos como alimentos mais saudáveis quando não têm açúcar em sua composição.

Muitas vezes, não resistimos ao apelo da mídia e acabamos consumindo diariamente uma grande quantidade de adoçante. Mas você já parou para pensar no mal que pode lhe fazer esse uso abusivo?

Os adoçantes foram criados para auxiliar pessoas diabéticas a controlar o nível de açúcar no sangue. Primeiro, surgiu a sacarina e, depois, os ciclamatos, ambos derivados do petróleo. Em seguida, apareceu o aspartame, um dos adoçantes mais populares atualmente. Ele possui a mesma quantidade de calorias que o açúcar, mas tem um poder de adoçar aproximadamente 200 vezes maior e, por isso, pode ser usado em pouca quantidade.

O aspartame resulta da combinação química do ácido aspártico e da fenilalanina com o metanol, que é altamente tóxico. Como a quantidade de metanol usada é muito pequena, considera-se o adoçante inofensivo. Não são levados em conta, porém, os seus efeitos cumulativos no organismo. Para evitar problemas futuros, não se recomenda a ingestão de produtos com aspartame por crianças e gestantes.

Mas não se assuste e não saia jogando no lixo todos os seus produtos diet ou light.

É importante apenas evitar o consumo excessivo até que haja mais pesquisas comprovando que eles não são tóxicos. Afinal, tomar cuidado nunca é demais!

No quadro abaixo, você pode conhecer as características de alguns adoçantes.

Adoçante

Poder adoçante

Sabor

Consumo máximo diário

Desvantagens

Aspartame

0,5 a 0,7 mais que o açúcar

Semelhante ao açúcar

40 mg/kg

Perde seu poder adoçante em altas temperaturas e não pode ser usado por fenilcetunúricos

Sorbitol

120 a 220 vezes mais que o açúcar

Semelhante ao açúcar

5,5 mg/kg

Ação laxativa em altas doses

Stévia

300 vezes mais que o açúcar

Residual amargo

5,0 mg/kg

Sem desvantagens

Sacarina

200 a 700 vezes mais que o açúcar

Residual amargo metálico

5,0 mg/kg

Qualidade do sabor e quantidade exagerada de sódio na sua fórmula

Ciclamato

30 a 140 vezes mais que o açúcar

Residual amargo persistente

11 mg/kg

Qualidade do sabor e quantidade exagerada de sódio na sua fórmula

Acesulfame-K

125 a 250 vezes mais que o açúcar

Semelhante ao açúcar

9 mg/kg

Dificilmente disponível no mercado

Sucralose

400 a 800 vezes mais que o açúcar

Semelhante ao açúcar

15 mg/kg

Preço muito alto


ALGUMAS DICAS SOBRE OS ADOÇANTES

• Alterne sempre o tipo de adoçante utilizado.

• Os adoçantes também têm calorias, ainda que bem menos que o açúcar. Consuma-os com moderação.

• Utilize com cautela os produtos com sorbitol, pois essa substância tem efeito laxativo que pode variar de acordo com a sensibilidade de cada indivíduo.

• Pessoas com hipertensão arterial ou problemas renais devem estar atentos à quantidade de sódio de cada adoçante.

   

 


Gisele Pontaroli Raymundo


ver currículo >>
Últimos Artigos

Anabolizantes: consequências maiores que as imaginadas!

As necessidades nutricionais variam de acordo com o hábitat?

Semente de linhaça: uma companheira de todos os dias

 Cardápio

Monte cardápios de lanches saudáveis para as crianças.
 Buffet Virtual

Prepare seu prato e receba uma avaliação
 IMC
Descubra seu peso ideal!


 Outros Artigos